segunda-feira, 6 de maio de 2013

1º Trilho S. João das Lampas


A minha primeira vez em Trilho… um dos meus objectivos deste ano concluído!

Gostei muito da organização e a esse nível só tenho que agradecer pela minha parte e dar-vos os meus PARABÉNS!!!


Continua Fernando Andrade :-) marca 5* 

Estava realmente muito bem organizado e fomos recebidos com todos os cuidados sem que nada faltasse.

Estava curiosa de saber como me sairia neste tipo de prova. 
Fiz um treino em Monsanto à noite com o pessoal e correu muito bem o que me surpreendeu.
Na semana passada caí numa aula e torci um pé assim como fiquei com o glúteo do lado direito feito num “bolo”… foi o que me fez não poder participar na Meia de Almada e desta vez não poderia de todo faltar.
 
Portei-me bem e estive a semana toda sem correr para ver se o pé ficava melhor.

Pior do que o pé está o glúteo, mas esse no fim do aquecimento deixa de doer. Na minha cabeça só pensava como seria e se me ia correr bem…. 
No inicio ainda combinei ir com um grupo que também era a primeira vez que ia fazer trilhos e dpois com a Ana Pereira, mas junto à meta eu meti-me mais para trás e perdi o pessoal. 

Para a Ana Pereira foi melhor porque fez a prova em companhia do Joaquim Adelino.




O Carlos disse que ia a tomar conta de mim, senti-me confortável e “protegida” fisicamente, mas os meus ouvidos não ….. porque eu era teimosa e não devia estar ali, aquele tipo de provas não era para mim, etc, etc ao ponto de lhe dizer para me largar, mas não largou e acalmou-se na conversa. É cansativo estar sempre a sentir que nos estão a desmotivar.
Ainda consegui tirar uma foto a meio da prova.... que pena não terem sido mais ....
Nada de nervoso contrariamente ao que possam pensar, nas calmas mesmo e na minha cabeça ia só fazer o que podia, a correr ou a andar. Corri sim nas partes que me permitiram ter alguma segurança mas mesmo assim numa subida o meu pé resvalou naquelas pedras lisas e soltas que estavam por ali e lá fui eu ao chão outra vez. Não me preocupei, não me aleijei no pé, só o joelho e a mão. No caso das mãos só pensei que as luvas foram de facto um benefício.
Durante o caminho ia pensando constantemente em todas as indicações do Ricardo Arraias, desde a forma como por o pé, etc….
Por outro lado pensava sempre que segundo dizem os trilhos são muito bonitos por causa da paisagem… até pode ser mas eu levo o tempo todo a olhar para o chão e nem me lembro por onde passei, lembro-me do chão, do piso, das pedras…..
Quando cheguei ao cimo de um monte (não sei qual!!!) paramos e vi que se estava a por o sol, ai parei mesmo para tirar duas fotos… e depois continuamos com o Carlos a dizer que tinha que ir mais rápido porque aquilo não era para demorar 24h a fazer e estava com fome e queria ir comer….

Passamos a praia da Samarra, devia ser linda a paisagem, mas não vi… já era noite !! Salta pé aqui, salta pé ali…. E na descida tive que me pôr de costas virada para o muro e não olhar lá para baixo porque me dava tonturas e causava mais insegurança ainda… chegamos à água finalmente e lá meti eu a “pata na poça” quando o pé escorregou para dentro de água … seguimos e eu só pensava que pena não ver aquilo de dia Um dos bombeiros que por ali andava ouviu eu fazer esse comentário e disse “para a próxima se vier mais rápido já vê de dia” … fiquei triste! Será que éramos os últimos ??? Perdi totalmente a noção ….
Depois foi a subida que para mim era íngreme mas pacifico… subidas venham elas, mas descidas não !!!
Quando subimos tudo e chegamos a um cruzamento de terra batida ficamos sem saber para que lado voltar. Erramos e fomos para o lado contrário. O Carlos tentou o GPS para nos orientarmos e começamos a correr em estrada de terra batida em direcção a S. João das Lampas.
Entretanto, vinha a passar um jipe dos Bombeiros e nós saltamos lá para dentro e deixaram-nos por forma a retomar o trilho e penso pelo GPS que encurtamos cerca de 2 Kms.

Lá encontramos uma “alma penada” (coitado!) cheio de cãibras e quase sem conseguir andar, o gel de magnésio tinha ficado no carro pois então ….
O meu também e embora o Jorge me tenha alertado para isso … esqueci-me, mas como tomo por norma magnésio não aconteceu nada.
O Carlos fez a propaganda ao Portugal Running e disse ao piqueno para nos procurar no facebook, mas pelo que entendi não era muito dado às novas tecnologias e morava em Setúbal o que dificultava nos treinos conjuntos.

Continuamos e quando encontrei finalmente alcatrão senti como se tivesse a ver um Oásis … a satisfação e a alegria eram tantas que ninguém pode imaginar… era como se tivesse sede e me dessem um copo de água !!!! Desatei a correr nessa altura e eu e o Carlos dissemos logo “vamos poder esticar as pernas finalmente” e zás toca de acelerar…. Mas depois abrandamos… pois coitado do Senhor tinha ficado para trás. Abrandamos e cruzamos a meta com ele. Foi muito giro !! Mas nem sequer o nome do Senhor sei ….

Acabámos a prova com o tempo de 2h27 e foi o que se pode arranjar....

Quanto ao resto... perdoem-me mas continuo a preferir o alcatrão!!! 
Terra sim, trilhos mas em Monsanto que conheço o piso e é mais simples.

Agora digam lá se não tenho razão, o que é que eu aproveito de uma prova destas?
Não sou o “Macgyver” e se o Carlos não me acompanhasse fazia quilómetros sozinha e ainda mais lento porque ele ainda me deu a mão algumas vezes… Falar? Nem pó, só se fosse com uns bichinhos, mesmo assim ainda apanhei um susto com um ramo que me parecia uma cobra pendurada…

Acho que só vou novamente com o Jorge se ele tiver paciência para me aturar a uns trilhos que ele diz serem bons para mim que é no Alentejo mas nem sei o nome.
Para o ano provavelmente vou a esta mesma prova se for mais cedo para poder ver a paisagem, mas só provavelmente!
Após termos chegado foi o alegre convívio entre todos que é sempre uma diversão… com comida ou sem ela é sempre um prazer estas reuniões. Eu não costumo comer, mas após a horita de intervalo e de beber muita água lá fui eu para o petisco.
Aproveitamos para cantar os Parabéns ao Paulo Calvino e Hugo Gonçalves que tinham feito anos.

Beijinhos e parabéns à Analice pela prova dela no deserto.... e mais umas fotos!

Quando cheguei e tirei os ténis vi o resultado dos ténis apertados muito justos ... o pé todo vermelho e com sangue pisado. Não me doí a andar só se tocar com mais força, mas o facto de ter apertado mais os ténis deu nisso, de qualquer maneira não tinha outra hipótese senão o pé ia andar a dançar dentro dos ténis e neste caso não podia ser. Agora mais um bocadito de gelo e toca a andar .....  
Fotografias para recordar, umas minhas outras "roubadas":













16 comentários:

  1. Bem eu continuo a dizer que o ALCATRÃO FAZ MAL À SAÚDE!
    Mas correr com um grilo falante a desmoralizar o tempo todo também não é nada saudável!
    Foi uma pena não ter ido com o MESTRE Joaquim Adelino (corredor e ser humano excepcional) que via os trilhos de outra maneira, com outra atitude e aprendia muito! Mas fica para outra vez!
    E fez uma excelente prova e ainda chegou muita gente bem depois!
    Não ficou em última mas mesmo que ficasse chegaria na frente de muitos “meninos” que não tem coragem de se meter nisso!
    PARABÉNS AFILHADA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Padrinho!

      Quem ia ser o meu padrinho deste trilho era o Mário Lima, mas por questões pessoais não pode.
      Se ele tivesse ido connosco o Carlos entretinha-se na conversa e eu aprendia mais ...

      Fica para uma próxima :-)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Fico contente de ver que participaste, sinal que já passou (ou em vias de passar...) a maleita que te impediu em Almada.

    Força para as próximas!

    ResponderEliminar
  3. Parabéns pela crónica e também pela participação nos Trilhos das Lampas. Não faça já juízes de valor pela preferência do alcatrão, existe a possibilidade de tentar outras experiências também muito positivas, depois sim ajuíze e estou certo que vai mudar de ideias. bjs.

    ResponderEliminar
  4. Pois Henriqueta...lesionada...nem sempre devemos fazer a vontade ...à vontade. Mas falar é fácil e quem de nós já não passou por situações idẽnticas? (quando o mais sensato é o repouso e nós teimosamente lá vamos correr?!). Isto cada um sabe de si e tem de se pôr tudo na balança: os prós e os contras, e o que pesar mais...é o que fazemos! Por certo fizeste muito bem ir! (e espero que não tenhas piorado)

    E peço desculpa, mas parti à tua frente e aproveitei a boleia do Adelino. E...foi sensacional!

    E trilhos..eu sou uma grande maricas e tenho muitos medos, mas GOSTO, o problema (não é problema) é que GOSTO destas coisas: da Natureza, da sua beleza e da sua dureza também, Gosto de alcançar pontos onde jamais iria se não fosse assim.

    Mas há uns mais suaves que outros, tens razão. E eu quero continuar, mas quero continuar por uns assim suaves... como este, que considero de dificuldade baixa a moderada... ( provavelmente há quem ache de dificuldade zero, mas isso serão os prós! e eu sou uma medricas :)

    Beijinho e as melhoras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana obrigada pelas tuas palavras :-)

      Se a prova dos Trilhos de Monsanto for avante conto ir e depois logo se vê....
      O meu desconforto em relação aos trilhos não é porque não goste de aventura mas sim por uma tendência fisica de estar sempre a cair, mesmo em alcatrão... sempre fui assim desde pequena, sempre andei de joelhos esfolados.

      Beijinho

      Eliminar
  5. Olá Henriqueta.
    Muito obrigado pela apreciação da prova, embora as tuas características não se encaixem bem neste tipo de pisos. Essa é uma razão pela qual a tua presença assume uma importância maior, pois previas um sacrifício e, mesmo assim, quiseste estar connosco. Os nossos redobrados agradecimentos.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Fernando Andrade, foi um prazer :-)

      beijinho

      Eliminar
  6. Henriqueta

    Infelizmente não pude estar nesta prova, mas garanto-te que se fores a uma prova de trilhos onde possas desfrutar tudo o que te rodeia, esquecer de uma vez por todas o trauma das quedas (como já te acompanha desde pequena é trauma) confiares mais nas tuas potencialidades e deixares de "mariquices" (estou a rir-me pois já estás a dizer que não és nada maricas) vais gostar disto.

    Tenho duas sugestões para continuares uma é o Entre Serra e Mar em 26 deste mês e outra a 12.ª Corrida do Mirante no dia 2 de junho onde estarei.

    Qualquer uma delas é durante o dia, com paisagens magníficas e fáceis (o fácil é sempre relativo) de se fazerem.

    As opções existem, há que saber tirar o máximo proveito e prazer delas.

    Afinal cair na estrada ou num trilho é igual no cair, mas não igual no olhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mário,

      Agradecida... mas não quero mesmo ir...
      A essa "Entre Serra e Mar" seria uma prova que me iria increver dependendo do resultado desta das Lampas e agora não me apetece mesmo ir.
      Já me falaram nela e tem alguma dificuldade, o meu pé está frágil e eu tenho que deixar passar tempo.

      Ainda não entendi porque é tão dificil as pessoas perceberem que não acho piada aos trilhos!!! Principalmente porque não sou masoquista :-)

      Como já disse à Ana:

      "O meu desconforto em relação aos trilhos não é porque não goste de aventura mas sim por uma tendência fisica de estar sempre a cair, mesmo em alcatrão... sempre fui assim desde pequena, sempre andei de joelhos esfolados".

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Deve ser o IV TRAIL TERRAS DO GRANDE LAGO em PORTEL veja:

    http://www.associacaomundodacorrida.com/alqueva13.htm

    ResponderEliminar
  8. cobra penduranda?só a madrinha para me fazer rir.não estarias a pensar em outra cobra pendurada?
    trata de te por boa que eu quero-te inteirinha dia 6 Outubro ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que engraçadinho :-) eu quero estar OK afilhado :-)
      podes ter a certeza :-))))

      Eliminar